sábado, 7 de outubro de 2017

Portadores do HIV recebem atendimento de excelência no Huap

Coordenado pelo professor Cláudio Palombo, o SAE tem o objetivo de organizar as ações de Aids no Huap. Atualmente, conta com uma equipe multiprofissional nas áreas de cardiologia, clínica médica, pediatria, obstetrícia, enfermagem, serviço social, farmácia, psicologia, nutrição e odontologia.

A psicóloga Tânia Ventura esclarece que o SAE acompanha as gestantes soropositivas provenientes do ambulatório de pré-natal, as crianças expostas que são as nascidas de mães soropositivas, porém não-contaminadas, e crianças positivas, além de adultos. Ela também explica que o paciente pode ser portador do vírus, mas ainda não ter desenvolvido os sintomas da síndrome.

No atendimento estão incluídas consultas individualizadas para pacientes que vêm sendo tratados no próprio hospital universitário e participação de grupos abertos à comunidade interessada.

O Grupo Sol, de auto-ajuda, é promovido pela enfermeira Ana Barros e a assistente social Margareth Caldas Piprowsky, e tem como objetivo a troca de convivência e sentimentos. Os pacientes ainda fazem passeios externos.

As reuniões ocorrem quinzenalmente às segundas-feiras, das 11h às 13h. O grupo de pais e responsáveis de crianças expostas ao vírus se realiza toda primeira quinta-feira de cada mês, das 9h às 10h, e das 10h às 11h, e o de pais e responsáveis de crianças soropositivas é promovido toda segunda quinta-feira de cada mês, das 10h às 11h.

Ambos discutem a síndrome, o desenvolvimento infantil e o tratamento. A equipe é composta pelos seguintes membros: atendente de recepção Nádia Regina da Silva Corrêa, auxiliar de dentista Denise Rangel Vidal, auxiliar de enfermagem Márcia de Paula Pereira, assistente social Eliane da Silva Santos, dentistas Karine Marconi da Rocha Leite e dentista Márcia Elaine Ramos (voluntária), enfermeiras Ana Maria Ferraz Barros e Clóris Marfisa Rines Torres, farmacêutica Kátia Maria Ferreira de Araújo, infectologista professora Kátia Martins Lopes Azevedo, médicos cardiologistas Lorena dos Santos Rimoro e Hamilton Teixeira nutricionista Thlema Brandão, pediatra Ivete Martins Gomes e psicóloga Márcia de Martino.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 2629-9265.

Fonte: www.uff.br

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Dia Mundial da Paralisia Cerebral - 04 de outubro


O Dia Mundial da Paralisia Cerebral comemora-se a 4 de outubro em 2017.

É na primeira quarta-feira de outubro que se celebra tradicionalmente esta data.

Este dia tem como objetivos informar sobre a paralisia cerebral, chamar a atenção para a situação das pessoas com paralisia cerebral que são esquecidas pela sociedade, e permitir que estas pessoas maximizem as suas potencialidades.
Existem 17 milhões de pessoas no mundo com paralisia cerebral. Nascem mais de 1000 crianças por dia com paralisia cerebral, sendo um mal que atinge 2 a 2,5 de 1000 nados-vivos. Esta é a deficiência física mais comum na infância e uma das menos entendidas. Esta paralisia pode causar entraves ligeiros ou limitações graves no quotidiano, que se espelham ao longo de toda a vida. Muitas pessoas recebem terapias ineficazes, inúmeras famílias não têm acesso a informações básicas e a apoio, assim como muito pouco dinheiro é investido em pesquisa na paralisia cerebral.


A participação e condição da pessoa com Paralisia Cerebral está dependente das oportunidades que o meio envolvente lhe oferece, sendo este um fator  para a qualidade de vida.
Fonte: site calendarr  - Portugal

sábado, 23 de setembro de 2017

Portela receberá feira de empregos para pessoas com deficiência no dia 28

Por GRES Portela

A quadra da Portela receberá, na próxima quinta-feira (28), das 10h às 16h, uma grande ação social voltada para trabalhadores com deficiência e reabilitados pelo INSS. Promovido pela Superintendência Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (SRT-RJ), o 'Dia D', que integra o Circuito Fluminense de Inclusão da Pessoa com Deficiência, vai promover uma feira de empregos e oferecer diversas atividades. Os interessados deverão ter a partir de 16 anos.

O objetivo é ampliar o número de trabalhadores com deficiência ou reabilitados no mercado formal. "A principal estratégia da data é dedicar um dia inteiro de atendimento exclusivo para a inclusão desse público, reunindo em um mesmo espaço as empresas que vão disponibilizar vagas e os trabalhadores candidatos a uma oportunidade de emprego", explica o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

Na ocasião, além de ministrar palestras para o público, representantes do Ministério do Trabalho irão esclarecer dúvidas sobre a legislação e a fiscalização realizada pelo órgão. Especialistas da área de saúde e previdência também estarão disponíveis para conversar com o público.

Para disputar as chances de trabalho que serão oferecidas pelas 38 empresas participantes, os candidatos deverão apresentar documento de identidade, carteira de trabalho, PIS/NIS, CPF, currículo, comprovante de escolaridade, laudo médico atualizado (se for PcD), certificado de reabilitação emitido pelo INSS (se for reabilitado) e comprovante de residência. Os candidatos com necessidades especiais poderão, ainda, fazer carteira de trabalho. Para tirar a primeira via, é preciso levar carteira de identidade, certidão de nascimento ou casamento, CPF e comprovante de residência. Já para a segunda via, é necessário apresentar todos os documentos listados e a carteira de trabalho anterior ou registro de ocorrência policial no Rio de Janeiro, informando a perda ou extravio do documento.

A ação, que já passou por Duque de Caxias, na Baixada, e pelo Centro do Rio, contará com a parceria com vários órgãos. Toda estrutura de informática para o atendimento à população, como internet, rede, computadores e impressoras será disponibilizada pelo Sistema Firjan (SESI-RJ e SENAI-RJ).

Outro destaque do 'Dia D' será a participação do Departamento de Projetos Sociais e Cidadania da Portela, que vai oferecer atendimento dentário gratuito ao público. Além da distribuição de kits de higiene bucal, profissionais do setor vão dar dicas de escovação. O evento contará, ainda, com a presença ilustre do cantor Gabrielzinho do Irajá, que cantará algumas canções acompanhado de ritmistas da bateria Tabajara do Samba.

"Será uma grande oportunidade para pessoas com necessidades especiais e reabilitados pelo INSS conseguirem uma colocação no mercado de trabalho. Sabemos que essas pessoas já enfrentam desafios muito grandes, por isso nós da Portela ficamos muito felizes de poder receber um evento que certamente ajudará no resgate da cidadania de muita gente", destaca Luis Carlos Magalhães, presidente da campeã Portela.

A quadra da agremiação fica na Rua Clara Nunes 81, em Madureira.

Serviço:
CIRCUITO FLUMINENSE DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA - DIA D

28/09 (quinta-feira): Quadra da Portela
Endereço: Rua Clara Nunes 81, em Madureira, Zona Norte do Rio
Horário: das 10h às 16h



quinta-feira, 21 de setembro de 2017

NASP - Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência

O Dia Nacional de Luta da Pessoa Portadora de Deficiência é celebrado em 21 de setembro no Brasil.

NASP  - PORTELAMOR

Esta data foi criada com o objetivo de conscientizar sobre a importância do desenvolvimento de meios de inclusão das pessoas com deficiência na sociedade.


O preconceito e a inacessibilidade pública também são dois pontos centrais a serem debatidos durante esta data, e que são responsáveis por dificultar a vida das pessoas portadoras de deficiência.
Oficialmente, esta data foi criada a partir do decreto de lei nº 11.133, de 14 de julho de 2005, mas já era celebrada a nível extraoficial desde 1982.


A criação do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência foi uma iniciativa do Movimento pelos Direitos das Pessoas Deficientes – MDPD, grupo que debate propostas de transformações sociais em prol dos portadores de deficiência desde 1979.

O dia 21 de setembro também marca o início da Primavera no Hemisfério Sul, e é fazendo uma referência a esta estação que foi escolhida esta data como marco para celebrar a luta da pessoa com deficiência.


O fenômeno da Primavera pode ser metaforicamente comparado ao renascimento e renovação da vida, assim como acontecem com as flores durante esta estação. As pessoas com deficiência são motivadas a lutarem pela construção de uma sociedade inclusiva, onde podem viver de forma igualitária e sem preconceitos.


A Organização das Nações Unidas (ONU) também institui a nível mundial o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, celebrado anualmente em 3 de dezembro desde 1992.

Fonte:  Calendarr

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Brasil, lugar onde:

ROUBAR; ESTUPRAR; ASSEDIAR; SER CORRUPTO; EJACULAR EM UMA MULHER DENTRO DO ÔNIBUS É NORMAL, MAS SER GAY É DOENÇA.


Grupo Portelamor - Porque amar é fundamental.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Setembro Amarelo

Iniciado no Brasil pelo CVV (Centro de Valorização da Vida)CFM (Conselho Federal de Medicina)ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), o Setembro Amarelo realizou as primeiras atividades em 2015 concentradas em Brasília. Mundialmente, o IASP – Associação Internacional para Prevenção do Suicídio estimula a divulgação da causa, vinculado ao dia 10 do mesmo mês no qual se comemora o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.


CVV – Centro de Valorização da Vida (uma das principais mobilizadoras do Setembro Amarelo) é uma entidade sem fins lucrativos que atua gratuitamente na prevenção do suicídio desde 1962, membro fundador do Befrienders Worldwide e ativo junto ao IASP – Associação Internacional para Prevenção do Suicídio), da Abeps (Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio) e de outros órgãos internacionais que atuam pela causa.
Alguns destaques do Setembro Amarelo nesses anos foram a iluminação de monumentos como Cristo Redentor no Rio de Janeiro/RJ, o Congresso Nacional e a ponte Juscelino Kubitschek em Brasília/DF, o estádio Beira Rio em Porto Alegre/RS, a Catedral e o Paço Municipal de Fortaleza/CE, Ponte Anita Garibaldi em Laguna/SC, e o Palácio Campo das Princesas em Recife/PE.

Também foram feitas ações de rua, como caminhadas, passeios ciclísticos, passeios de motos e abordagens em locais públicos em várias cidade do Brasil.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Informações sobre a doação de medula óssea

 

Passo a passo para se tornar um doador
  • Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Esta é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e se recompõe em apenas 15 dias.
  • Os doadores preenchem um formulário com dados pessoais e é coletada uma amostra de sangue com 5ml para testes. Estes testes determinam as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente.
  • Os dados pessoais e os resultados dos testes são armazenados em um sistema informatizado que realiza o cruzamento com dados dos pacientes que estão necessitando de um transplante.
  • Em caso de compatibilidade com um paciente, o doador é então chamado para exames complementares e para realizar a doação.
  • Tudo seria muito simples e fácil, se não fosse o problema da compatibilidade entre as células do doador e do receptor. A chance de encontrar uma medula compatível é, em média, de uma em cem mil!
  • Por isso, são organizados Registros de Doadores Voluntários de Medula Óssea, cuja função é cadastrar pessoas dispostas a doar. Quando um paciente necessita de transplante e não possui um doador na família, esse cadastro é consultado. Se for encontrado um doador compatível, ele será convidado a fazer a doação.
  • Para o doador, a doação será apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.
  • A doação de medula óssea é um gesto de solidariedade e de amor ao próximo.
  • É muito importante que sejam mantidos atualizados os dados cadastrais para facilitar e agilizar a chamada do doador no momento exato. Para atualizar o cadastro, basta preencher este formulário.
Caso você decida doar
1. Você precisa ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante).
 
2. Onde e quando doar
É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos hemocentros nos estados. No Rio de Janeiro, além do Hemorio, o INCA também faz a coleta de sangue e o cadastramento de doadores voluntários de medula óssea de segunda a sexta-feira, de 8h às 12h. Não é necessário agendamento. Para mais informações, ligue para (21) 3207-1580.
 
3. Como é feita a doação
Será retirada por sua veia uma pequena quantidade de sangue (5ml) e preenchida uma ficha com informações pessoais.
 
Seu sangue será tipificado por exame de histocompatibilidade (HLA), que é um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que podem influenciar no transplante. Seu tipo de HLA será incluído no cadastro.
Seus dados serão cruzados com os dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea constantemente. Se você for compatível com algum paciente, outros exames de sangue serão necessários.
 
Se a compatibilidade for confirmada, você será consultado para confirmar que deseja realizar a doação. Seu atual estado de saúde será avaliado.
 
A doação é um procedimento que se faz em centro cirúrgico, sob anestesia peridural ou geral, e requer internação por um mínimo de 24 horas. Nos primeiros três dias após a doação pode haver desconforto localizado, de leve a moderado, que pode ser amenizado com o uso de analgésicos e medidas simples. Normalmente, os doadores retornam às suas atividades habituais depois da primeira semana.
 
Importante

Um doador de medula óssea deve manter seu cadastro sempre atualizado. Caso haja alguma mudança, preencha este formulário.
 
O Transplante de Medula Óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue.
 
fonte: Site do INCA