quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Semana Mundial de Aleitamento Materno – oportunidade para ação conjunta

Em 2017 celebra-se o 25º aniversário da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) que busca desencadear ações conjuntas em prol da amamentação. A proteção, promoção e apoio da amamentação são os três pilares fundamentais para aumentar e consolidar as taxas de aleitamento materno, tanto em países em desenvolvimento como em países desenvolvidos. A SMAM é o momento mais importante no ano para a promoção da amamentação em todos os meios de comunicação que tenhamos acesso.
Objetivos
  1. Buscar o apoio dos governos e diversos setores da sociedade para promover, proteger e apoiar a amamentação.
  2. Construir alianças sem conflitos de interesses para fortalecer as políticas e programas de aleitamento materno e alimentação infantil.
  3. Mobilizar e desenvolver ações para a promoção, proteção e apoio à amamentação e práticas adequadas de alimentação infantil.
FOLDER SMAM 2017 (Brasil)
“Proteger a amamentação: construindo alianças sem conflitos de interesses”.

Créditos: CEFEMINA (texto), FABIANA MÜLLER (tradução), ALESSANDRA RIVERO HERNANDEZ (revisão da tradução), LUCÉLIA FERNANDES (editoração), MARINA REA (finalização), FERNANDA SÁ (fotos folder), RETRATUS (foto capa)



Cadeira de Rodas X Invalidez

Desde que iniciei minha atuação na área de direito médico, já presenciei diversas formas de como as pessoas enfrentam o uso da cadeira de rodas.

Confesso que o entendimento do público geral, que não utiliza cadeira de rodas, ou não convive com o cadeirante nunca me preocupou....
.
Entretanto, me alarma a falta de conhecimento a respeito desse equipamento por parte das pessoas que são usuárias ou que convivem com portadores de necessidades especiais, sobretudo, mães de crianças especiais.

A rejeição do uso da cadeira de rodas é presente em praticamente todas as mães de crianças especiais, mas percebo que a falta do conhecimento a respeito dos benefícios de uma cadeira de rodas sob medida é o fator que explica essa forte rejeição.

Mães, uso esse espaço para falar com vocês, parem de vincular a cadeira de rodas a invalidez de seu filho. O uso desse equipamento não determina a invalidez de alguém, muito menos determina que sua criança não será capaz de caminhar.

Seu filho não pode passar horas do dia mau posicionado em cadeiras sem as devidas adaptações que o corpo dele necessita, na escola, vendo TV, fazendo as refeições, dentre demais atividades, e socialização com o mundo.

A cadeira de rodas é muito mais do que um simples assento, influencia no posicionamento do corpo, favorecendo assim funções básicas como respiração, alimentação, fluxo sanguíneo, previne dores e deformidades.

O mau posicionamento, por estar no colo ou carrinho de bebê, por exemplo, ou até mesmo em cadeiras de rodas inadequadas, pode causar perdas motoras e perdas de função.

De acordo com estudos de especialistas na área, a cadeira de rodas é considerada um equipamento terapêutico, prevenindo e revertendo deformidades, sendo uma extensão do tratamento de reabilitação.

Além dos tratamentos de reabilitação neurológica, o correto posicionamento na cadeira de rodas interfere diretamente na progressão do desenvolvimento da criança.

A correta escolha da cadeira de rodas deve ser realizada pela equipe terapêutica que acompanha o paciente, por especialista em adequação postural, determinando assim todos os itens e acessórios necessários, de acordo com cada patologia, com as deformidades já existentes e para evitar que novas apareçam.

Cadeiras de rodas adaptadas possuem custo financeiro final alto, considerando todos os itens, acessórios, e ainda as adaptações realizadas pelo profissional especialista.

Entretanto, há possibilidade da requisição judicial desse equipamento, seja contra o plano de saúde, ou poder público, a decisão do Supremo Tribunal de Justiça – STJ é favorável para concessão desse equipamento.

Não deixe seu filho mau posturado, as consequências são maiores do que aparentam.

Wanessa Ferreira Rodrigues
https://www.facebook.com/wanessa.ferreirarodrigues
 

Texto recebido no grupo Facebook.

domingo, 30 de julho de 2017

Doações no Rio de Janeiro



Itens Retirados: Roupas, móveis em bom estado de conservação, utensílios domésticos, brinquedos, livros, itens de informática, eletrodomésticos, material de escritório, entre outros. Outros itens, consultar no telefone 4003-2299.



Dias de Retirada: Segunda a sábado em horário comercial



Prazo de Retirada: Consulte aqui


Telefone para doações em Rio de Janeiro: 4003-2299



Fonte: www.exercitodoacoes.org.br

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Secretaria Especial de Direitos humanos – Violência contra o Idoso!!

Infelizmente a violência contra o idoso no Rio de Janeiro aumentou em cem  por cento em relação ao ano passado. Esse levantamento foi baseado em denúncias feitas ao Ministério Público do Rio de Janeiro.  Até o mês de maio foram registradas 1406 denuncias de maus tratos, sofridos por idosos.  No ano passado, no mesmo  período , houve 611 registros.
De acordo com o Ministério Público as mulheres idosas são as maiores vitimas e os autores das agressões geralmente pertencem a própria família.  Abandono familiar,  abuso financeiro, negligência , violência física e psicológica são alguns tipos de violência praticadas.
A ironia dessa situação é que a  cidade do Rio de Janeiro  tem em Copacabana, o maior bairro de concentração de  idosos do mundo.  A praia, a facilidade de transportes e a variedade de serviços, faz de Copa o lugar ideal para quem deseja  desfrutar de uma velhice saudável e tranquila.
O laço afetivo, familiar é um dos motivos para o idoso não denunciar os abusos sofridos e até desculpar o agressor.  Se você conhece algum idoso  que esteja sofrendo algum tipo de violência denuncie.  Disque 100.
De acordo com a Cartilha editada pela Secretaria Especial de Direitos Humanos “violência  contra idosos – o Avesso de Respeito à Experiência e à Sabedoria”  os tipos  mais comuns de agressões são os seguintes:
Violência física:  é o uso da força para compelir os idosos a fazerem o que não desejam, para feri-los, provocar dor, incapacidade ou morte.
Violência Psicológica:  Corresponde  as agressões verbais ou gestuais com o objetivo de aterrorizar, humilhar, restringir a liberdade ou isolar do convívio social.
Abandono:  é uma violência que se manifesta pela ausência ou deserção, dos responsáveis governamentais, institucionais ou familiares de prestarem socorro a uma pessoa idosa que necessite de proteção e assistência.
Negligência: refere-se  à recusa ou à omissão de cuidados devidos e necessários aos idosos por parte dos responsáveis familiares ou institucionais.  É uma das formas de violência mais presentes no pais.  Ela se manifesta  frequentemente associadas a outros abusos que geram lesões e traumas físicos, emocionais e sociais, em particular, para as que se concentram em situação de múltipla dependência ou incapacidade.
Violência financeira ou econômica:  consiste na exploração imprópria ou ilegal ou ao uso não consentido pela pessoa idosa de seus recursos financeiros.
Autonegligência:  diz respeito à conduta da pessoa idosa que ameaça sua própria saúde ou segurança, pela recusa de prover cuidados necessários a si mesma.
Violência medicamentosa:  é administração por familiares, cuidadores e profissionais  dos medicamentos prescritos, de maneira indevida, aumentando, diminuindo ou excluindo os medicamentos.
Violência emocional e social: refere-se a agressão verbal crônica, incluindo palavras depreciativas que possam desrespeitar a identidade e a autoestima.  Caracteriza-se pela falta de respeito aos desejos, negação do acesso a amizades, desatenção as necessidades sociais e de saúde.



MALTRATAR IDOSO É CRIME! DENUNCIE!
Fátima Malheiro
fonte: Boletim da ASAPREV - RJ - 3º  trimestre de  2017
Leia também:

http://www.portelamor.com

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Portela reinaugura consultório dentário na quadra, neste sábado

Uma grande ação social no próximo sábado (29), das 16h às 18h, vai marcar a reinauguração do consultório odontológico da Portela. Na ocasião, uma equipe de profissionais liderada pela dentista Hellen Mary Costa vai oferecer gratuitamente aplicação de flúor e dar dicas de higiene bucal para crianças de 2 a 12 anos. Para ser atendido, o menor deverá estar acompanhado de um responsável legal, que vai precisar apresentar identidade, CPF e comprovante de residência. O evento será aberto para o público em geral.


"Estamos muito felizes com a reabertura do nosso consultório dentário. É uma iniciativa muito importante, porque dará chance para nossos componentes com menos recursos de poder fazer tratamento e ter acompanhamento com uma profissional especializada, no caso a doutora Hellen, a quem quero agradecer muito pela parceria. Nossa ideia com o tempo é ampliar cada vez mais a quantidade de pessoas atendidas pelo projeto", revela o presidente Luis Carlos Magalhães.

Já a partir do dia 12 de agosto, sempre aos sábados, de 9h ao meio-dia, o atendimento será estendido para componentes da Portela de todas as idades, com a distribuição de dez senhas por sábado. Serão disponibilizados serviços de limpeza, restaurações, extrações simples, além de orientações sobre higiene bucal. Os interessados deverão sempre apresentar identidade, CPF e comprovante de residência. Inicialmente, o objetivo é priorizar o atendimento para os integrantes dos segmentos da escola e desfilantes. Nos próximos meses, a meta da diretoria é ampliar para o público em geral.

"Estou extremamente feliz de poder participar dessa iniciativa. Cuidar do sorriso e do bem-estar das pessoas não tem preço. Será uma grande oportunidade para quem está precisando se consultar com um dentista", diz Hellen Mary.

A quadra da Portela fica na Rua Clara Nunes 81, em Madureira.


Legenda da foto: Dentista Hellen Mary será a responsável pelos atendimentos
Crédito: Divulgação 


Fonte: www.gresportela.com.br

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Campanha Coração Azul no Brasil

Com o lema "Liberdade não se compra. Dignidade não se Vende. Denuncie o Trafico de Pessoas", a versão brasileira da campanha Coração Azul tem a cantora Ivete Sangalo como Embaixadora Nacional da Boa Vontade para Prevenção e Combate ao Tráfico de Pessoas.
O lançamento da campanha Coração Azul no Brasil aconteceu em maio de 2013 e contou com a participação do Diretor Executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) Yury Fedotov. Segundo ele, o tráfico de pessoas envolve milhões de vítimas e gera bilhões de dólares para redes criminosas.
"Nenhum país consegue escapar desse crime terrível que viola diretamente os mais fundamentais direitos humanos. O tráfico de pessoas pode acontecer no seu país, na sua cidade, na sua rua, até mesmo na sua própria casa. É exatamente por isso que foi criada a Campanha Coração Azul, para conscientizar as pessoas a nível mundial sobre esse problema que está ao nosso redor. Portanto, todas as nações têm a responsabilidade de confrontar o tráfico de pessoas", disse Fedotov.
Com o lançamento da campanha, o país se insere na mobilização internacional contra esse crime. No Brasil, de 2005 a 2011, foram investigadas 514 denúncias desse crime. Dois terços - 344 - dos inquéritos são relacionados com trabalho escravo. Outros 157 são de tráfico internacional e 13 investigaram tráfico interno de pessoas, modalidade em que o índice de denúncia é muito baixo. A atuação do Estado brasileiro resultou no indiciamento de 381 suspeitos. Por causa de limites da legislação e de dificuldades em reunir provas, apenas 158 foram presos.


O Diretor Executivo do UNODC, Yury Fedotov, o ministro da Justiça, José Cardozo, e a cantora Ivete Sangalo formalizam o lançamento
Além do empenho dos governos e dos organismos internacionais, o enfrentamento ao tráfico de pessoas exige a mobilização da sociedade e a conscientização de cada pessoa. Cada cidadão tem o dever de denunciar.
Para isso, o governo disponibiliza a rede de núcleos e postos estaduais e municipais de enfrentamento ao tráfico de pessoas, a rede consular para apoio no exterior, os serviços Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos, o Ligue 180, da Secretaria de Políticas para as Mulheres. Também é possível se comunicar com a Coordenação de enfrentamento ao Tráfico de Pessoas da Secretaria Nacional de Justiça pelo e-mail de informação: traficodepessoas@mj.gov.br ou pelo e-mail de denúncia da Polícia Federal: urtp.ddh@dpf.gov.br.
Com a adesão, o Brasil se compromete a disponibilizar meios de divulgação e mobilização da sociedade para a luta contra o tráfico de pessoas. Todo mundo pode participar: curta o Coração Azul no Facebook, adote esse símbolo no seu perfil ou na página da sua empresa. Use o coraçãozinho na lapela. Ajude a promover a campanha em suas rede sociais e combata esse crime.

Siga o Coração Azul

Ao seguir o Coração Azul você pode mudar a sua foto do perfil no Facebook, conectar-se por meio do Twitter ou assistir a vídeos sobre o tráfico de pessoas no YouTube. Participe e apoie virtualmente a campanha Coração Azul.